Inevitável - Capitulo 95

- Quer dizer então que vocês se resolveram? - Marlon perguntou enquanto estávamos a mesa, jantando.
- Sempre estivemos bem. - Micael respondeu seco.
- Acho que quem tem alguma coisa pra resolver aqui são vocês dois. - Falei meio sem entender aquele clima tenso entre os dois. Até a pouco estava tudo bem.

- Não tem nada pra resolver. - Micael disse rápido.
- Talvez o fato de você ficar toda hora me lembrando que a Luiza foi sua esposa, seja algo a resolver. - Eu levantei uma sobrancelha olhando para Micael.
- Nem falei nada demais, tu se doeu atoa. - Ele deu de ombros e olhou pra mim. - Realmente, não falei nada. Eu estava irritado porque você estava com raiva de besteira e ele veio me dar conselhos amorosos. Justo ele. - Bufou.
- Acho que vocês podem parar de brigar a mesa. - Jorge falou e eu respirei fundo.
- Ninguém tá brigando, pai. - Micael disse e Marlon rolou os olhos.
- Você é um escroto, Micael, as vezes parece que se arrependeu. - Marlon levantou a sobrancelha pra mim e eu fiquei sem ter o que falar, ele não tava arrependido, com certeza não. Eu acho.
- Não viaja. - Foi a unica resposta que ele deu. Luiza estava prendendo a respiração, parecia nervosa.
- O que foi, Luiza? - Fiz todo mundo prestar atenção nela, e ela ficou ainda mais.
- Nada. - Sussurrou.
- Parece alguma coisa. - Insisti.
- Não se mete, Sophia. - Ela levantou da mesa apressada e nós ficamos sem entender nada.
- Eu hein, mina louca. - Disse alto, mas algo dentro de mim pedia pra eu ir falar com ela, então eu me levantei e eles ficaram me olhando. - Que foi?
- Você vai atrás dela? - Micael perguntou com um sorriso estranho.
- Ela ainda é minha irmã, não é? - Rolei os olhos e fui. Luiza estava no quarto de Marlon, sentada na cama, olhando o celular, parecendo desesperada. - O que está acontecendo? - Ela levantou a cabeça.
- Acho que você não tem nada a ver. - Respondeu grossa e voltou a olhar o celular.
- Deixa de ser grossa e fala. - Respondi no mesmo tom. - Da pra ver que você tem algo sério ai. - Apontei pro celular.
- Você é mulher do Micael. - Franzi o cenho. - Vai contar pra ele.
- O que o Micael tem a ver? - Perguntei incomodada.
- Nada. Quer dizer, tem a ver, mas não é ele que me preocupa. - Ela parecia estar prestes a chorar.
- Luiza, você tá me deixando preocupada. - Me sentei ao seu lado e ela respirou fundo.
- Por favor, não conta pro Micael. - Eu assenti. - Eu realmente fui embora com um cara quando eu sumi.
- Disso ai todo mundo sabe. - Eu rolei os olhos. - Ele não é bobo, Luiza.
- Tá, mas ele não sabe que esse cara é o Lucas. - Eu parei e pensei. Quem era Lucas?
- E quem é Lucas? - Levantei uma sobrancelha.
- É um amigo dele, ele conheceu na faculdade, Lucas cursou medicina, mas eles tinham amigos em comum, então acabaram se conhecendo. - Ela deu de ombros.
- Você traiu o Micael com um amigo dele? - Ela abaixou a cabeça. - Eu não me orgulho disso, ok?
- Luiza, pra que você voltou? - Ela suspirou.
- Como eu estava considerada morta, não podia trabalhar. Lucas estava com problemas com dinheiro e...
- Ah, eu não acredito que você voltou por causa de dinheiro! - Esbravejei e ela arregalou os olhos. - Você infernizou a minha vida, Luiza e por causa de dinheiro!
- Ei, não grita. Você me prometeu segredo. - Ela pediu, desesperada e eu respirei fundo.
- Ok, e você está preocupada com o quê?
- Eu cheguei achando que ia ser fácil ter o Micael de novo e conseguir o que eu queria. Só que quando eu vi ele com você... - Ela fez uma pausa dolorosa, então começou a chorar. - Eu senti ciumes. Eu não gostei.
- Nossa, não tinha nem percebido. - Rolei os olhos.
- Sophia, eu realmente queria ter o amor dele pra mim de novo. - Resmungou.
- Pra depois largar ele de novo. - Disse com raiva. - Ele tem sentimentos, Luiza. Ele sofreu muito quando você se foi. Eu nunca o vi daquele jeito. E você, só me decepciona ainda mais.
- Eu sei, eu só faço besteira.
- E o Micael nem é rico. Não ia conseguir muito dinheiro dele. - E então uma coisa me ocorreu. - O Felipe...?
- Sim, Felipe é filho do Lucas. - Eu não sabia o que falar. Era muita informação. Desconfiar era uma coisa, descobrir era outra.
- Meu Deus. - Foi a unica coisa que eu disse por um tempo. - Você está tentando fazer isso com o Marlon também, eu não vou deixar. - Me levantei rápido e ela se levantou também, só que desesperada.
- NÃO! - Ela gritou. - Eu amo o Marlon. Eu me encontrei com ele, ele me completa. - Disse com toda sinceridade.
- Então qual o problema?
- O problema é que o Lucas não aceita que eu não quero mais voltar. Ele acha que eu deveria pegar o dinheiro da casa e voltar com ele. - Secou algumas lagrimas com as mãos. - Mas eu não quero.
- Então não vai. - Dei de ombros.
- Ele está ameaçando vir aqui e contar toda a verdade pro Micael se eu não voltar. - As lagrimas voltara e eu realmente não sabia o que fazer.
- Então conta a verdade pro Micael antes. - Melhor conselho que eu poderia dar.
- Micael vai é me matar se souber disso.
- Aparentemente ele vai saber de qualquer jeito. - Dei de ombros.
- Talvez você tenha razão. - Ela veio e me abraçou. - Mas não é simples chegar e dizer que eu trai ele com um dos amigos que frequentava a nossa casa e que nosso filho na verdade é de outro homem.
- Eu imagino realmente que não deve ser fácil. - Ri. - Mas acho que a raiva vai ser menor se você falar com ele antes. E depois com o Marlon.
- É, vou fazer isso. - Me largou do abraço e eu a olhei. Gostava de me sentir como antes de tudo isso acontecer. Afinal, sempre fomos amigas.
- Agora seca esse rosto, vamos voltar pra mesa de jantar e você vai conversar com ele assim que acabar. - Ela assentiu e nós saímos do quarto, mas tivemos uma surpresa quando chegamos a mesa de jantar.

5 comentários:

  1. Aaaaaaaaaaa socorro oq houve to curiosa

    ResponderExcluir
  2. o que será q tem lá? sos continuaaaaaa

    ResponderExcluir
  3. Aaaaa isso é sacanagem!!!Deixar a gente curiosa posta bonus!!!

    ResponderExcluir
  4. Até que enfim em Luiza

    ResponderExcluir
  5. Continue pleasee 😱😱😱😱😱😱😱

    ResponderExcluir