Inevitável - Capitulo 99

- Ué, pensei que era sem briga, Micael! - Marlon debochou do canto.
- Cala a boca, Marlon. - Ele disse com raiva. - Continua. - Lucas estava com a mão no queixo e um sorriso no rosto. Se divertindo, claramente.

- Olha, eu acreditei que você não ia querer saber. - Ele riu. - Aquele acidente, foi a desculpa perfeita. Não que eu tenha contratado alguém pra bater no carro de vocês, até porque acho que seria muito difícil achar alguém disposto a morrer, mas quando vocês chegaram no hospital, Luiza estava acordada e então eu dei a brilhante ideia dela se passar por morta e ir embora comigo.

Micael estava de boca aberta, eu olhei pra Luiza e ela tinha a cabeça baixa, eu realmente não sabia o que fazer. Eu sabia que cada palavra dele, magoava ainda mais o Micael, que tinha essa ferida, toda vez que estava cicatrizando, alguém voltava e colocava o dedo.

- Ela obviamente topou. Armei tudo, inventei pra familia dela que a cerimonia teria que ser de caixão fechado, dei um jeito dela sair do hospital e logo depois pedi demissão.
- Por quê? - Sua voz era baixa e calma, a qualquer momento ele ia explodir.
- Porque nós nos amávamos e tinha você atrapalhando. - Ele conseguiu falar de forma tão cruel que o Micael precisou de tempo pra raciocinar. - Eu sei que eramos amigos e tudo, mas você realmente acha que eu passava aquele tempo todo na sua casa por causa de você? - Ele arqueou uma sobrancelha e riu. Micael não respondeu, parecia estar juntando as evidencias.
- Por que você voltou agora? - Marlon perguntou no canto.
- Porque ela é minha mulher e vai embora comigo. - Ele respondeu sério.
- Ela é minha namorada e vai ficar aqui. - Eu sorri com a resposta dele, mas Lucas negou com a cabeça.
- Você sabe que quando vocês começaram a namorar ela tava na minha cama, dia sim e dia não né? - Aquele homem era horrível, ele falava cada palavra com satisfação.
- Vai embora daqui! - Eu levantei e o encarei. - SOME.
- Que bonitinha, achando que manda em alguma coisa. - Como eu estava próxima, ele levantou um dedo e passou na minha bochecha.
- Não encosta em mim, seu nojento. - Micael estava abalado demais pra falar alguma coisa, esse homem precisava sair daqui.
- Que isso gracinha. - Ele riu.
- Sai! - Eu praticamente gritei, então Jorge apareceu.
- O que está acontecendo? - Disse bravo olhando pros filhos. Nenhum dos dois respondeu.
- Esse homem não quer sair daqui, eu vou ligar pra policia. - Respondi e ele me olhou sem entender.
- Ele não é amigo do Micael?
- Não se preocupem, eu já estou indo, acho que vocês tem muito o que conversar. - Olhou pra Luiza. - Beijos amor, depois a gente se fala. - Ele caminhou pra porta tão seguro de si, mas antes de sair se virou e despejou pra Micael a pior coisa que ele poderia falar. - Ah, tenho uma noticia pra você sobre o Felipe... - Micael se levantou na hora. - Ele é meu filho. - Eu vi Micael sair correndo atrás dele, mas ele bateu a porta e tomou a dianteira, quando Micael chegou, ele já estava dentro do carro. Ele se sentou no quintal e eu tinha certeza que estava chorando. Amava Felipe mais que qualquer coisa.
Ali na sala ninguém falava nada, só se ouvia o soluço de Luiza e as nossas respirações, ficamos assim por um bom tempo, até Micael voltar. Ele estava confuso, andava de um lado para o outro e eu sabia que tinha muita coisa pra falar.
- Como você pôde? - Começou e Luiza não conseguiu responder. - Como você pôde? - Ele gritou.
- Micael, as crianças! - Eu o repreendi e ele respirou fundo.
- Responde, Luiza! - Ainda estava bravo, mas seu tom de voz era mais baixo.
- Aconteceu, Micael. Não foi nada premeditado. - Ela conseguiu responder.
- Ah, ainda bem que não foi. - Ele debochou. - Pelo amor de Deus, você estava transando com um dos meus melhores amigos. Na minha casa, na minha cama. - Lagrimas escorriam por seu rosto, eu só queria abraça-lo, mas sabia que com toda raiva que ele estava sentido, ele me rejeitaria.
- Ele me seduziu, eu era jovem e imatura Micael. Nunca tinha estado com outro homem alem de você. - Tentou se justificar, mas parecia que ele só estava ficando com mais raiva.
- Nem eu Luiza, isso não justifica nada, porque eu sempre te respeitei. Eu estava no meu trabalho ansioso pra chegar em casa e ver você, e você estava fodendo com meu amigo, porra! - Emily começou a chorar depois desse grito de Micael. Eu olhei para Jorge que assentiu e foi ficar com ela sem nem eu precisar falar.  - O que mais me deixa com raiva é que você engravidou e disse que era meu, eu fiquei feliz, eu amei nosso filho todos esses anos, pra agora um desgraçado dizer que é filho dele. Como você pode ter certeza?  - Arqueou uma sobrancelha.
- Eu só tenho! - Não tinha coragem de encara-lo.
- Você não tem nada, Felipe é meu filho, eu que fiquei com ele esse tempo todo. Eu e a Sophia. Porque você é um fracasso como esposa e como mãe, e por incrível que pareça, como namorada também. - Ele apontou pro Marlon no canto da sala, mudo e com o olhar distante. - Você não vale nada.
- Micael, você está pegando pesado. - Tentei defender, queria que aquilo acabasse logo.
- Ah, eu tô pegando pesado? - Ele riu. - Ela me traiu por mais de um ano antes de resolver fugir com o amante, deixando pra trás o filho que é deles dois pro otário aqui cuidar. Apareceu e infernizou a nossa vida, não sei pra quê, e eu que to pegando pesado?
- Eu sei que você está com raiva, mas... - Tentei apaziguar mais uma vez.
- Raiva? Eu tô com vontade de matar, raiva deve estar o Marlon. - Respirou fundo.

9 comentários:

  1. Posta um bônussss!!

    ResponderExcluir
  2. Que capítulo foi esses, bafonico

    ResponderExcluir
  3. NOSSA, que barraco hein KKKK sinto pena do mica ele nao merecia passar por isso luiza foi uma vaca.

    ResponderExcluir
  4. Que situ hein, esse Lucas é tão escroto!!

    ResponderExcluir
  5. Boooooooooooooooooooonus

    ResponderExcluir
  6. Posta bônus, por favor

    ResponderExcluir
  7. Tá lindo, posta bonus

    ResponderExcluir
  8. Que merda de situação hein??? 😂😂😂😂 continua que está incrível 😀

    ResponderExcluir